Universo Tributário

Nova autorização para empréstimo externo pode ir hoje a Plenário PDF Imprimir E-mail
Notícias sobre Finanças Públicas
08-Abr-2009

Depois de aprovada pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), deve ser votada em Plenário, ainda nesta terça-feira (7), mensagem do Senado Federal (MSF 50/09) relativa a autorização para o governo brasileiro contratar empréstimo externo.

A autorização é empréstimo junto ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) no valor de US$ 83.450.000,00. Essa operação destina-se ao financiamento parcial do Projeto de Expansão e Consolidação da Saúde da Família (Proesf II) e o pedido para votação em regime de urgência no Plenário foi apresentado pelo relator da matéria na CAE, senador Inácio Arruda (PC do B-CE).

Ao defender seu parecer favorável à MSF 50/09 na comissão, Inácio Arruda observou que esse empréstimo externo já havia sido autorizado pelo Senado em dezembro de 2008. Conforme explicou, o assunto voltou à Casa porque o Banco Mundial decidiu, de forma unilateral, aumentar o spread aplicável à operação de 0,05% para 0,75%. Como as condições financeiras acertadas anteriormente foram modificadas, fazia-se necessária nova autorização do Senado.

Apesar de a taxa de spread da operação ter sido majorada em quase 1.600%, Inácio Arruda informou que o governo federal considerou essa captação de recursos mais vantajosa do que se houvesse sido realizada no mercado interno. A manutenção do empréstimo nesses termos foi criticada por diversos senadores, que, no entanto, votaram a favor da matéria por reconhecer sua importância para o sistema de saúde no Brasil.

O senador Antonio Carlos Júnior (DEM-BA) estranhou, por exemplo, o governo ter mantido essa operação pouco depois de ter devolvido US$ 57 milhões ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), recursos que seriam aplicados em saneamento básico. Em seguida, o senador César Borges (PR-BA) considerou que, apesar da parceria entre União e municípios no Saúde da Família, os municípios são obrigados a assumir quase 70% do custo do programa.

Enquanto o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) lamentou que o governo brasileiro tenha amargado "um aumento absurdo" no spread nessa operação, decorrente da crise financeira mundial, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) ilustrou o aperto nas finanças municipais comentando que, apesar do aumento de um ponto percentual no repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) a partir de dezembro de 2008, o repasse em janeiro de 2009 sofreu um decréscimo de quase 30% na comparação com o mês anterior.

A exemplo dos demais senadores, Rosalba Ciarlini (DEM-RN) expressou preocupação com as dificuldades financeiras enfrentadas pelos municípios durante a votação da MSF 50/09. Segundo revelou, 80% dos municípios do Rio Grande do Norte são mantidos exclusivamente pelo FPM, tendo de arcar com 50% dos gastos de pessoal do Programa Saúde da Família.

Fonte: Agência Senado

 
< Anterior   Próximo >
Advertisement

Nossos Parceiros

Anuncie Aqui!

Assine nosso RSS

Charges

Produtos e Serviços

Você está aqui:Home arrow Notícias arrow Finanças Publicas arrow Nova autorização para empréstimo externo pode ir hoje a Plenário

In Company

Cursos e Treinamentos customizados para vossa empresa.